Na biblioteca da minha Escola

Na biblioteca da minha Escola

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Evocando a Batalha de Aljubarrota (14 de agosto de 1385)

Evocando a Batalha de Aljubarrota (14 de agosto de 1385)

Luís de Camões, ‘Os Lusíadas ‘, Canto IV


28
Deu sinal a trombeta Castelhana,
Horrendo, fero, ingente e temeroso;
Ouviu-o o monte Artabro, e Guadiana
Atrás tornou as ondas de medroso.
Ouviu[-o] o Douro e a terra Transtagana;
Correu ao mar o Tejo duvidoso;
E as mães, que o som terríbil escuitaram,
Aos peitos os filhinhos apertaram.

29
Quantos rostos ali se vêm sem cor,
Que ao coração acode o sangue amigo!
Que, nos perigos grandes, o temor
É maior muitas vezes que o perigo.
E se o não é, parece-o; que o furor
De ofender ou vencer o duro imigo
Faz não sentir que é perda grande e rara
Dos membros corporais, da vida cara.

30
Começa-se a travar a incerta guerra:
De ambas partes se move a primeira ala;
Uns leva a defensão da própria terra,
Outros as esperanças de ganhá-la.
Logo o grande Pereira, em quem se encerra
Todo o valor, primeiro se assinala:
Derriba e encontra e a terra enfim semeia
Dos que a tanto desejam, sendo alheia.

0 comentários:

Enviar um comentário

Agradecemos o interesse demonstrado. Todos os comentários construtivos serão publicados.