Na biblioteca da minha Escola

Na biblioteca da minha Escola

terça-feira, 13 de maio de 2008

O grafitti


“Muros brancos, povo mudo”

Perto de minha casa alguém, furtivamente durante a noite, tem por hábito deixar frases nos muros que pretendem pôr-nos a pensar!!! Louco, seguramente… ou para outros “um brincalhão” Não sei se ainda há alguém que usa o seu tempo a girar pela cidade atento a pormenores como as escritas sobre os muros. Sinceramente não sou grande fã desta forma de expressão, muito menos quando o que deixa é unicamente uma assinatura (chamam-lhes tags), um rabisco que ninguém entende e dificilmente se aprecia. Mas não há dúvida que outros, os verdadeiros graffiti, fazem-nos olhar com mais atenção para um muro que passaria despercebido de outra forma, falam-nos de uma cultura de rua suburbana, que não necessita de galerias nem museus para se exprimir, que revela outros talentos que a corrida diária tem dificuldade em descobrir.
A minha escola tinha um desses graffitis. Eu (pelos vistos erradamente) associava essa pintura à Escola Cardoso Lopes, talvez porque me lembro claramente de como surgiu a ideia, do apoio imediato do João Dinis para a iniciativa (como de resto em tudo o que dinamizasse positivamente a escola), dos imensos desenhos que recebemos até chegar ao símbolo final, da compra das tintas e do contacto com o artista que se prestou gratuitamente a tal tarefa, ficando com o restante das latas para futuras deambulações.


Honestamente, que me perdoem os alentejanos, gosto cada vez menos de muros brancos.


Sandra Oliveira

3 comentários:

  1. O patrim�nio e a mem�ria colectiva da nossa escola est�o empobrecidos. Nestes tempos dif�ceis era bom correr os olhos pelo colorido daquela parede pintada com alma. E, lentamente, muito lentamente, v�o-me chegando as palavras do Cigarra no conto de Verg�lio Ferreira: "Roubaram-ma! Roubaram-ma![...] Roubaram a estrela!". Porque, � sua maneira, aquele grafiti era uma estrela.

    Filomena Rocha

    ResponderEliminar
  2. Aconteceu inadvertidamente. Mas o facto é que já está. O que hoje é, poderá já não o ser amanhã. Haja a consciência de que tudo é efémero...

    ResponderEliminar
  3. eles fizeram muito mal em tirar o grafitti assim a escola fica mais feia ....

    o texto ta fx


    jessica 8a

    ResponderEliminar

Agradecemos o interesse demonstrado. Todos os comentários construtivos serão publicados.